UM TAROT PARA A NOVA ERA – A TEMPERANÇA versus A ARTE

 

Seguindo a sequência dos Arcanos Maiores encontramos uma carta que na maioria dos tarôs chama-se a Temperança. Junto com a Justiça, A Fortaleza (A Força) a Esperança (significado tradicional da Estrela) leva títulos que correspondem-se com as virtudes do catolicismo, por certo, tomadas emprestadas, de Aristóteles. 

Na maioria dos baralhos vemos um anjo que derrama um fluido de uma taça para outra. Um fluido que não parece ser água pois seu movimento não obedece às leis da gravidade, passando uma ideia de que se trata de algo mais etéreo que finalmente não sabemos muito bem se está descendendo, ascendendo ou ambas coisas ao mesmo tempo ou na sequência.

Embora nos baralhos mais antigos não vemos os pés do anjo, alguns modernos mostram que este tem um pé na água e outro na terra conectando o mundo do inconsciente ou mundo do manifestado (água) com o mundo manifestado concreto (terra).

As interpretações mais tradicionais deste arcano são as sugeridas pelo significado da palavra temperança: Moderação, sobriedade e continência. Contenção dos apetites e o uso excessivo dos sentidos, sujeitando-os â razão. Parece uma versão mais moderada da repressão e o autocontrole que nos passava A Força. Outros intérpretes falam em equilíbrio, paciência, sensatez, diplomacia, do caminho do meio e da ação correta.

O Osho Zen Tarot e o Tarot de Crowley/Harris rompem com a tradição chamando este arcano A Integração e a Arte respectivamente.

 

 

Se a imagem do Osho Zen Tarot ilustra a ideia da integração dos opostos: O Fogo e a Água, a águia e o cisne, o Yin e o Yang, o Sol e a Luna, o de Crowley/Harris faz isso com a Diana de Éfeso que integra o casal (Imperador-Imperatriz) dos Amantes, consumando assim o casamento integrando as polaridades expressadas pelos amantes. Ainda esta figura mistura o Fogo e a Água num caldeirão dourado que simboliza o mundo concreto. Podemos ver esta integração em diferentes aspectos dos quais os mais interessantes são o profissional e o dos relacionamentos amorosos.

No mundo profissional A Arte representa libertar-se da maldição: “Ganharás o pão com o suor de seu rosto” para fazer de sua diversão seu trabalho e quando falo em diversão me refiro ao prazer que vem de dentro quando fazemos o que gostamos, o prazer da ação e não dos resultados da ação que é outro tipo de prazer. Se sentimos prazer com uma determinada atividade é porque temos talentos específicos para ela pois quando um talento se manifesta sempre vem acompanhado de prazer e se optamos por uma atividade para a qual temos talento o mais provável é que os resultados dessa atividade tenham qualidade. Ainda adquirir conhecimentos para desenvolver melhor essa atividade será muito fácil, de maneira que aprimoraremos ainda mais o resultado do nosso trabalho. Acontece que a sociedade embora hipocritamente exalte o esforço o que paga é a qualidade, de maneira que a 1ª consequência de fazer de nossa diversão nosso trabalho é o dinheiro.

Por outro lado, que esforço é necessário para fazer algo que gostamos? A expressão de um talento vem também acompanhada de energia, neste caso da energia do inconsciente que é mais poderosa que a força de vontade de maneira que integramos também descansar e trabalhar. Então a 2ª consequência de fazer de nossa diversão nosso trabalho é a saúde. Nos carregamos energeticamente, nos sentimos mais vitais e dispostos, não necessitamos recorrer às compensações para ter prazer, compensações que degradam o corpo, a alma e o bolso diminuindo a possibilidade de que o corpo se enferme buscando uma solução (ficar doente) para não ter que fazer algo que não gosta e que o desgasta. De maneira que a 3ª consequência é que envelhecemos mais lentamente, pois o que mais envelhece é se obrigar a fazer algo que não gostamos. Esta carta ilustra então o “elixir da quase eterna juventude”.

Se passamos parte do dia envolvidos numa atividade que dá prazer quando concluímos o horário laboral e vamos para o mundo dos relacionamentos, sejam familiares, amistosos ou amorosos o faremos como doadores de prazer e não como vampiros, de maneira que a 4ª consequência, será muito más fácil fluir nos relacionamentos. Esta carta é uma chave também no mundo dos relacionamentos. Ver a 4ª chave do bem-estar: http://www.tarotterapeutico.info/esp_videos.htm

Integrar nossas polaridades não só significa, como ensina a carta dos Amantes,  entender que o homem e a mulher de nossa vida estão dentro de nós e não fora, com o que fechamos um ciclo de relacionamentos de dependência, de barganha, de eu dou isto para que você me dë aquilo, e também deixamos de esperar a meia laranja, o príncipe azul ou a mulher maravilha que vai nos fazer felizes, resgatamos a percepção que dessa expectativa distorcida e vemos as pessoas como são e não como gostaríamos que fossem. Centrados e perceptivos estabelecemos relacionamentos compartilhando com as pessoas o que se sintoniza naturalmente conosco. Se nos Amantes escolhemos estar no feminino ou no masculino dependendo da situação, na Arte estamos em ambos ao mesmo tempo.

Sendo uma carta múltiplo de 7 fala de fechar um ciclo e abrir um novo. No mundo profissional será sair da divisão: de 2ª a 6ª fazendo o que não gostamos para ganhar dinheiro e de 6ª a domingo gastamos o dinheiro para comprar prazer, integramos ter prazer e dinheiro a semana toda.

 

Finalmente com o corpo, o coração e o bolso saudáveis se abre naturalmente o caminho da espiritualidade, 5ª consequência.

 

  Voltar