COMO TRABALHA O TAROT TERAPÊUTICO?

Agora que já temos uma  ideia do que é e do que não é o Tarot Terapêutico, vamos ver os Cinco Princípios a partir do quais ele funciona:

1º.- NOSSA VIDA NÃO É PRODUTO DAS CIRCUNSTÂNCIAS, MAS DAS DECISÕES QUE TOMAMOS A PARTIR DELAS. Ou seja, somos totalmente responsáveis pela vida que vivemos. Se queremos começar a percorrer o caminho em direção à plena realização temos que deixar de colocar a responsabilidade ou a culpa nos outros.

 

E de que manga tiramos as decisões? Aquí, vem o 2º Princípio: TOMAMOS NOSSAS DECISÕES A PARTIR DE NOSSAS CRENÇAS. ACABAMOS POIS CONSTRUINDO NOSSA VIDA A PARTIR DELAS. Mas, cuidado, isto tem que ser muito bem entendido. Há crenças que tem muita força e outras que não tem nenhuma. As crenças, diferentemente do Teorema de Pitágoras, estão cimentadas por emoções.  Quanto mais forte é a emoção que sentimos quando adquirimos uma  crença, seja importada ou fruto de uma  experiência, mais poderosa é a crença.

Se tenho a crença de que nunca vou ganhar na loto, nunca jogarei e claro nunca ganharei. No entanto, se acredito que vou ganhar, posso passar a vida jogando e não ganhar por mais que fique o dia todo repetindo (ou decretando) “Vou ganhar na loto, vou ganhar na loto …” Se uma  crença está baseada apenas num capricho do ego, dificilmente se tornará realidade. O que reprograma o cérebro é a ação e não a mente.

 

O 3º Princípio afirma: O PRINCIPAL OBSTÁCULO PARA ALCANÇAR A REALIZAÇÃO SOMOS NÓS MESMOS, isto é,   NOSSA INSISTÊNCIA EM MANTER NOSSAS CRENÇAS E NOSSOS PADRÕES DE COMPORTAMENTO CONSTRUIDOS ENCIMA DESSAS CRENÇAS.

É tragicómico observar como criamos um falso sentido de identidade com as crenças, geralmente importadas, tanto assim que se alguém, exercendo seu direito à livre expressão, as questiona, nos ofendemos às vezes até o ponto de ter reações agressivas. Por mais que as crenças são como cortinas que não deixam ver a realidade, como disse o ditado espanhol: “Nada é verdade nem mentira. Tudo é da cor do cristal (crença) com que se mira”. Tem crenças piores e “mais piores”. Sería muito conveniente identificar e desativar estas últimas, pois são elas as que nos levam ao sofrimento.  No vídeo de introdução às Cinco Chaves do bem-estar que pode ser visto em minha pág. www.tarotterapeutico.info portugués Vídeos tem um trabalho específico com as crenças.

 

O 4º Princípio é a 2ª chave do Bem-estar: ATRAIMOS O QUE NECESSITAMOS PARA CRESCER E NÃO OS CAPRICHOS DA MENTE. E isto não é um postulado esotérico, senão uma lei biológica. A vida tem um propósito muito claro que é continuar viva. Para isso, as forças da vida estão trabalhando permanentemente: para que cada semente que cai no chão se transforme numa árvore cheia de frutos que larga sementes aos quatro ventos, para que cada bebé se transforme em um adulto completo, isto é, realizado, frutífero, saudável e feliz. Se uma pessoa para crescer, ou seja, para tornar-se ela mesma, necessita aprender a falar não, vai atrair propostas cada vez mais inaceitáveis. Se alguém tem medo de cobras, todas as serpentes da região vão se cruzar com ela cada vez que vai para o mato.

E o 5º Princípio afirma que CADA PESSOA LEVA DENTRO DE SÍ MESMA OS POTENCIAIS NECESSÁRIOS PARA REALIZAR-SE E SER FELIZ. Ninguém está condenado à infelicidade. Claro que fomos bombardeados desde crianças com uma falsa ideia de felicidade. Antigamente, como premio pos-mortem a uma vida de renuncia e submissão e, atualmente como consequência de consumir: “Tenho logo existo”. E assim, optamos por trabalhos que nada tem a ver conosco, para comprar essas coisas que teoricamente proporcionariam a felicidade.

O próximo artigo será mais prático. Veremos a Leitura Terapêutica: uma resignificação da tradicional Cruz Celta.

Voltar